Na Areia

Tudo sobre as praias de Salvador – Blog do 6º semestre de Jornalismo da Faculdade Social da Bahia para a disciplina Jornalismo Online

“Aventuras que só uma farta pescaria sabe contar”

Por Dolores Góes

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ao chegar ela já me olhava de longe. Sua imagem estava ali, posta nos pedestais da fé de todos os homens do cais. “Rainha do mar, quem te pediu licença pra entrar?”, brincou Seu Antônio. Estou na Casa de Yemanjá, bairro do Rio Vermelho, boêmio como o samba, devasso como uma crônica de Nelson Rodrigues, sedutor como uma palavra ao pé do ouvido.

A princípio ele me parece tímido, logo as formalidades cedem ao tempo e com sua simplicidade, Antônio Ribeiro, 57 anos, abre as portas de sua vida para uma jovem repórter. São 5h30m da manhã. As ruas começam a receber os primeiros carros. Antônio prepara o barco minuciosamente, verifica cada detalhe, esfrega as mãos na areia, coloca os pés na água e contempla a imensidão como se ela coubesse no seu sorriso.

Ele não possui outra fonte de renda, pescador há mais de 33 anos, já se acostumou aos pés descalços e à vida simples, sustento de uma família inteira. Naquele momento, qualquer pergunta se tornaria coadjuvante para quem falava com gosto da própria história, um sabor intenso de quem ama sentir o cheiro do salitre todas as manhãs e se entregar à vastidão azul.

Arpão, rede, nadadeira, corda, remos, isopor, baldes, cavalinha, vermelho, galo, agulha, tubarão. Balaios inteiros com mais de 500 kg, um cenário de fartura e desejo. Pude registrar com minhas lentes aquela paisagem em preto e branco.

“Desde muito novo acompanhava meu pai na pesca e até hoje estou aqui. É uma tradição que vem desde a época do meu avô, passou para meu pai, e agora sou eu, meus irmãos e meus três filhos. Nós todos buscamos o nosso sustento pescando”, disse ele com um olhar de satisfação.

Fui embora com a lembrança das suas mãos tragadas pelo tempo, da beleza de um homem comum que pertence ao mar. Ele parte em busca dos melhores peixes, “na sorte, com fé em Deus, nas aventuras que só uma farta pescaria sabe contar”.

Deixe uma resposta esperta:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 26 de novembro de 2012 por em Perfil.
%d blogueiros gostam disto: